O que foi o plano Marshall?



:. O Plano Marshall, (um seguimento da doutrina Truman), foi o principal Programa de Recuperação Europeia elaborado pelos Estados Unidos da América depois da segunda Guerra Mundial. A designação vem do nome do Secretário do Estado dos Estados Unidos, George .:



O Plano Marshall, (um seguimento da doutrina Truman), foi o principal Programa de Recuperação Europeia elaborado pelos Estados Unidos da América depois da segunda Guerra Mundial. A designação vem do nome do Secretário do Estado dos Estados Unidos, George Marshall.

O plano foi executado durante quatro anos fiscais a partir de julho de 1947. Nesse período, cerca de 13 biliões de USD de assistência técnica e económica (cerca de 132 biliões em 2006, ajustado pela inflação) foram injetados o que permitiu a recuperação dos países europeus que formaram a Organização Europeia para a Cooperação e Desenvolvimento Económico.

No final da aplicação do plano, a economia de cada país participante, com a exceção da Alemanha, tinha crescido consideravelmente acima dos níveis anteriores à guerra. Pelas próximas duas décadas a Europa Ocidental iria gozar de prosperidade e crescimento. O Plano Marshall também é visto como um dos primeiros elementos da integração europeia, já que anulou barreiras comerciais e criou instituições para coordenar a economia ao nível continental. Uma consequência da aplicação do plano foi a adoção sistemática de técnicas administrativas norte-americanas.

Com a devastação provocada pela guerra, a Europa enfrentava cada vez mais manifestações de contestação aos governos constituídos. Os Estados Unidos analisaram a crise europeia e, concluíram que ela podia colocar em risco o futuro do capitalismo, o que poderia prejudicar a economia dos Estados Unidos, dando espaço para a expansão do comunismo.

Assim os Estados Unidos decidiram participar na recuperação dos países europeus, criando para o efeito, o Plano Marshall. No início os recursos foram utilizados para comprar alimentos, fertilizantes e raçõesDepois, foram adquirindo matérias-primas, produtos semi-industrializados, combustíveis, veículos e máquinas. Aproximadamente, 70% desses bens eram de procedência norte-americana. Além de se beneficiar com o plano Marshall, a França elaborou seu próprio plano de recuperação económica, o Plano Monnet.

A Inglaterra também se recuperou, porém perdeu a importância económica e política. A Alemanha e a Itália também entraram em ritmo de recuperação. Com a criação da NATO, os Estados Unidos visavam garantir a exportação de excedentes e concretizar a hegemonia económica sobre o velho continente.

Autor: Luís Filipe
Data: 2012-03-02


Contato: mail@artigosenoticias.com   |   SAPO MAIL   |   HOTMAIL  |   GMAIL